Ashburn | quarta-feira, 17 de abril de 2024

Tratamento Homeopático: Insônia, Ansiedade e Depressão

Tratamento Homeopático: Insônia, Ansiedade e Depressão

Compartilhe esta matéria

O tratamento homeopático tem notável campo de ação terapêutico para problemas psíquicos, como insônia, ansiedade e depressão. O paciente é tratado com um medicamento de fundo, salvo nos distúrbios pontuais.

Na medicina convencional, os distúrbios psíquicos são tratados com diferentes medicamentos (soníferos para insônia, antidepressivos para depressão, etc.). Cada um desses medicamentos vai agir na parte desequilibrada do organismo, de acordo com dados farmacológicos baseados na experimentação de substâncias que atuam sobre disfunções do metabolismo cerebral.

Além dos medicamentos, várias alternativas são possíveis, entre as quais a psicoterapia ou a psicanálise, terapias corporais, como quiroprática, acupuntura, shiatsu, etc. É comum que tratamentos homeopáticos sejam realizados em conjunto com recursos terapêuticos tradicionais e outras técnicas alternativas.

Enfim, o campo de atuação da homeopatia é muito grande e favorável no tratamento desses tipos de distúrbios psíquicos. Como sempre, é a partir de uma série de perguntas detalhadas, que destacam aspectos do comportamento e das atitudes do paciente desde o início dos distúrbios, que o homeopata conseguirá encontrar o medicamento certo.

Insônia

Os distúrbios do sono (dificuldade em dormir, acordar durante a madrugada, temor de que a insônia se agrave com a falta de sono, sensação de não ter dormido suficientemente ou de ter dormido mal, excesso de sono) são motivos que levam com frequência as pessoas a procurar um médico. Várias pessoas tomam medicamentos para dormir ou para não acordar muito cedo.

O tratamento homeopático

As múltiplas inconveniências do tratamento convencional podem levar uma pessoas a procurar um médico homeopata, sobretudo para se livrar desses tipo de remédio e recuperar o equilíbrio sem ajuda deles. No entanto, é importante que essa mudança seja feita com acompanhamento dos dois médicos (alopata e homeopata), pois deixar de tomar remédios é uma situação delicada. O homeopata poderá orientar o paciente sobre o estilo de vida, indicando que evite bebidas excitantes (café, chá preto e mate), tenha alimentação equilibrada e faça atividade física regular, fatores que contribuem para a retomada do sono normal.

Inúmeros são os medicamentos homeopáticos utilizados para tratar a insônia, entre os quais  Gelsemium sempervirens (para insônia antecipada por uma situação de estresse); Nux vomica (insônia por estafa em pessoas empreendedoras); Lachesis mutus (no caso de pessoa que dorme tarde e não consegue levantar de manhã por causa do sono); Arsenicum album (para pessoa que costuma acordar precisamente às 2 horas da madrugada); Sulfur (pessoa que acorda às 5 horas e não volta a dormir); Natrum muriaticum (para pessoa que acorda cedo demais e voltaria a dormir às 10 horas da manhã sem problemas). 

Ansiedade

A ansiedade é um estado emocional muito comum nas pessoas. Frequentemente ela ocorre como reação a um fator de estresse, segundo as características de cada um, em função da sua personalidade e da sua capacidade de adaptação. Ela pode se manifestar de várias formas, como medo, irritabilidade, e por diferentes sintomas físicos, como insônia, palpitações, transpiração e tremores.

 O tratamento homeopático

A homeopatia procura o medicamento correspondente à expressão patológica particular do doente. O mesmo acontecimento pode ter impacto diferente de pessoa para pessoa.

Mais de cem medicamentos diferentes podem ser prescritos a um paciente ansioso. É possível prescrevê-los paralelamente a um tratamento alopático; com a melhora, o paciente poderá progressivamente, deixar de lado os ansiolíticos. Entre os medicamentos homeopáticos indicados, citamos Arsenicum album (para pessoa agitada, que não consegue descansar apesar do cansaço, que acha que não tem cura e está próxima da morte); Bryonia alba (no caso de ansiedade que toma conta do corpo da pessoa, deixando-a agressiva com os que lhe são próximos e causando dores em qualquer movimento); Causticum (pessoa tímida, ansiosa por companhia, com a cabeça cheia de imagens pavorosas, sobretudo à noite); Phosphorus (pessoa hipersensível, principalmente inquieta com a aproximação de uma tempestade); Nitricum acidum (no caso de acessos de ansiedade, sobretudo á noite, associados à preocupação com a saúde).

Depressão

A depressão é uma perturbação do humor caracterizada pela diminuição do interesse e do prazer. Ela se associa a uma queda geral das atividades, fadiga permanente, um sentimento excessivo de culpa, alteração das capacidades de concentração, decisão e reflexão. À dor moral se associam insônia, pensamentos de morte e perda de esperança. Sintomas físicos e psíquicos persistentes podem ser o sinal de uma depressão mascarada: distúrbios digestivos, enxaquecas, fadiga crônica, voltar-se para si, perda da autoestima.

A depressão é realmente uma doença que necessita de tratamento logo no início. De fato, 20% das depressões tornam-se crônicas, muitas vezes por causa de uma decisão tardia de tratá-las; além disso, uma depressão não cuidada pode desencadear graves problemas no plano afetivo, social e profissional. Na maioria dos casos, um tratamento adequado pode perfeitamente curar uma depressão.

O tratamento homeopático

É possível recorrer à homeopatia para tratar uma depressão e, em caso de necessidade, seguir ao mesmo tempo um tratamento ortodoxo. De fato, um tratamento desse tipo altera pouco as características dos pacientes (traços estranhos, surpreendentes, não habituais). A análise desses dados permite então prescrever o medicamento específico para cada um. Num primeiro momento, a melhora do comportamento, juntamente com o desaparecimento dos sintomas, encoraja o paciente. Essa mudança na forma de ser lhe permite recuperar gradativamente a autoconfiança e a segurança. Assim, no momento propício, e com a aprovação dos profissionais da saúde, o paciente poderá abandonar os psicotrópicos.

Para tratar a depressão, a homeopatia dispõe de centenas de medicamentos. Alguns exemplos podem ser citados: Sepia succus (para paciente triste e pessimista, introvertido, amargo, eternamente decepcionado com as pessoas); Aurum metallicum (no caso de alternância de hiperatividade e sentimento de autoridade com depressão suicida); Staphysagria (para pessoa que reprime a indignação e a frustração, que se exprimem por erupções cutâneas e dores de barriga); Phosphorus (para paciente que se abate no outono e na primavera, vítima de um sentimento de vazio que se alterna com entusiasmo criativo).

É importante ressaltar que para tratar pacientes com problemas psíquicos, a homeopatia procura cuidar do paciente de forma integral, psíquica e fisicamente, segundo seus procedimentos habituais.

Em caso de dúvidas, busque sempre o auxílio de profissionais de sua confiança. Não hesite em procurar ajuda quando perceber que algo não vai bem com seu organismo. 

Referência Bibliográfica: SERVAIS, Dr. Philippe M. (org.). Larousse da Homeopatia. São Paulo: Larousse do Brasil, 2002.

Outras matérias

Matérias

Symphytum – Atletas podem usar homeopatia?

SYMPHYTUM – Atletas podem usar homeopatia? É comum percebermos maior desgaste, contusão e dor em atletas durante competições e treinos pré-campeonatos, e os tipos de

Nos dedicando à Satisfação de nossos Clientes

Nos adaptando às necessidades comerciais do mercado.

CADASTRE - SE E RECEBA NOVIDADES

SIGA INJECTCENTER NAS MÍDIAS