Ashburn | sábado, 13 de abril de 2024

Dor: uma epidemia silenciosa

Dor: uma epidemia silenciosa

Compartilhe esta matéria

Muitas pessoas convivem diariamente com variados tipos de dor. Tanto é que nos dias de hoje a dor pode ser vista como uma epidemia persistente e contínua, afetando de maneira considerável a qualidade de vida da população mundial.

Assim sendo, as ciências médicas têm como objetivo, desde seus primórdios, mitigar os desconfortos causados pelas dores. Entretanto, com o advento dos analgésicos e seu uso descontrolado, construímos uma sociedade ainda mais doente.

A epidemia das dores sobrecarrega sistemas de saúde e desfalca os cofres públicos. Mais do que isso, a demanda para abrandar tantos desconfortos físicos acarreta consigo muito sofrimento.

Grande parte dos fármacos utilizados para alívio da dor é composta por opioides. Com atuação direta no sistema nervoso, garantem que a percepção da dor não ocorra, proporcionando conforto e satisfação aos pacientes. Contudo, na imensa maioria dos casos, essa é uma solução paliativa, pois tais medicamentos não tratam a doença causadora dos sintomas, apenas seus efeitos.

Cuidar somente da eliminação ou supressão da dor não é a solução. Além do mais, essa abordagem pode mascarar a real gravidade dos quadro clínicos, trazendo complicações e cronicidade, sem contar os efeitos colaterais.

Analgésicos e os riscos para a saúde

A necessidade contemporânea de soluções práticas e imediatistas promove o consumo desenfreado dos medicamentos analgésicos. Em um mundo acelerado, parar não é uma opção e isso compromete a saúde das pessoas.

É evidente que em ambientes hospitalares, analgésicos potentes são fundamentais, inclusive nos cuidados com pacientes em estado terminal. Por isso, é tão crucial a decisão acertada dos profissionais de saúde sobre a verdadeira imprescindibilidade de sua prescrição. Afinal, o uso indiscriminado de tais substâncias causa dependência, reduz a expectativa de vida e pode, inclusive, causar a morte.

A homeopatia como aliada no combate à dor

Quando pensamos a medicina sob um viés integrativo e humanizado, a homeopatia se apresenta como um caminho terapêutico capaz de auxiliar sobremaneira no combate às dores. Há indícios de que a percepção da dor é indissociável do aspecto emocional dos pacientes e os traumas psicológicos muitas vezes possuem desdobramentos no universo físico.

Dessa forma, a homeopatia conta com medicamentos capazes de tratar dores severas e, ao mesmo tempo, cuidar da parte mental dos indivíduos.

Por ser uma terapia que trata o paciente como um todo, levando em consideração os mais diversos aspectos inerentes à condição humana, o que importa no tratamento homeopático é a forma com que os pacientes se sentem e como reagem em relação à dor.

Em outras palavras, a homeopatia apresenta uma abordagem distinta no enfrentamento das enfermidades, trazendo à tona uma reflexão holística sobre a questão das dores, sempre com responsabilidade e empatia.

Por ser uma alternativa mais segura e natural, com menos efeitos colaterais e sem risco de causar dependência química, o tratamento homeopático permite alcançar ótimos resultados quando realizado de maneira correta.

Outras matérias

Matérias

Symphytum – Atletas podem usar homeopatia?

SYMPHYTUM – Atletas podem usar homeopatia? É comum percebermos maior desgaste, contusão e dor em atletas durante competições e treinos pré-campeonatos, e os tipos de

Nos dedicando à Satisfação de nossos Clientes

Nos adaptando às necessidades comerciais do mercado.

CADASTRE - SE E RECEBA NOVIDADES

SIGA INJECTCENTER NAS MÍDIAS